quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Combata o stress #2

Será estranho ouvir alguém desabafar que, acabando de chegar de férias, já atingiu os indesejados limites do stress. Bem, talvez não seja assim tão estranho, afinal, quem é quem não se importaria de tirar mais uma semana para ficar à sombra da bananeira? Quero ver essas mãozinhas no ar, vá não sejam tímidos! 
É que além do stress mais comum, e porque o verão é a época oficial das férias, por norma coincide com uma espécie de reinício de ano. Num ambiente empresarial, as reuniões poderão ser mais frequentes, e as reestruturações poderão começar a surtir efeito. 
Isto para falar da sensação estranha que todos, ou quase todos, temos quando regressamos. Aquela sensação em que nos sentimos verdadeiros estranhos na nossa própria casa, e parece que demoramos um dia ou dois a ambientar-mo-nos ao nosso habitat.
Existem questões que provavelmente poderão pairar sobre a nossa cabeça, tais como: "O que faço aqui?", "Porque estou aqui?", "Estarei no local certo?", "Existirão outras oportunidades?", "Sentirão os outros o mesmo?", "Porque estou tão insatisfeito/a?", entre muitas outras questões.
São questões que não podemos ignorar. Ou procuramos a ajuda de um profissional que seja o nosso espelho  e que nos ajude a perceber que todos temos uma missão, e que temos de explorar as nossas capacidades e talentos natos para nos sentirmos profissionalmente mais úteis e, por conseguinte, sentir aquela realização que além de profissional é pessoal; ou, carregamos com livros de auto-ajuda debaixo do braço, que lemos na ânsia de descobrir o elixir da vida quais genuínos alquimistas.
Foi mais ou menos isso o que eu fiz. De momento, estou a ler um livro com um título muito sugestivo: "Os 100 segredos das pessoas de sucesso" de David Niven, editado em 2002, em Portugal pela mão da editora Gradiva. Sendo o almejado sucesso a palavra chave , tenho de partilhar algo que me ajudou a sentir um pouco mais motivada, ora leiam comigo: "Sejam quais forem os nossos sonhos, vivemos pressionados pelo tempo. A família, os amigos, até mesmo os meios de comunicação, obrigam-nos a perguntar a nós próprios se iremos "chegar lá" e porque razão ainda não o conseguimos. Mas não há idade certa para se alcançar o sucesso... isso acontece quando tiver de acontecer." Bonitas palavras. Que aconteça quando tiver de acontecer, no entanto, quando definimos objectivos, temos de lutar para alcançar a meta, independentemente de estarmos ou não próximos dela.

Resumindo: Faça uma introspecção. Defina um objectivo. Lute por ele.





5 comentários:

  1. Este texto é um espelho para muita gente...e muito verdadeiro também... beijo

    ResponderEliminar
  2. Olá! Obrigada pelo comentário! É o que sinto, mas o livro tem ajudado. Brevemente edito um post sobre algumas das sugestões.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Ou seja, nunca desistir e procurar lutar por novas etapas, novos sonhos. Mesmo que a vida nos mostre só caminhos escuros, temos de lutar para encontrar a luzinha esperada.

    ResponderEliminar
  4. Olá Paula! Sê bem vinda! É verdade. Temos de ser nós próprios a fazer essa análise e a dedicar-mo-nos aos nossos objectivos, aos nossos sonhos. Não podemos esperar que os outros lutem por nós. :)

    ResponderEliminar
  5. Acho que esses livros fazem bem a qualquer pessoa, em qualquer altura! Pensando bem...também estou a precisar ler um, apesar de ultimamente andar mais a ler sobre organização, poupanças e culinária.
    bjs M.

    ResponderEliminar

A sua opinião conta!