sexta-feira, 18 de maio de 2012

Monotonia e solidão


Da azáfama dos cumprimentos matinais, seguidos das últimas cusquices e boatos, somos obrigados a um convívio constante com os restantes elementos da equipa de trabalho do escritório. Entre piadolas que vamos escutando, ou debitando, lá se vai a manhã. Já na hora do almoço, das duas, uma: ou almoçamos sozinhos e percorremos as ruas próximas com um olhar perdido e a pensar nas próximas quatro horas ou, aproveitamos para outro tipo de conversa, um pouco mais intimista com algum colega que entendemos ser já da família. A acrescentar, temos ainda os diferentes cenários que vislumbram todo o nosso caminho para o trabalho, assim como o de regresso, já que não é de esperar outra coisa!

(via internet)

Ao trabalhar em casa, o sofá está sempre no mesmo sítio! Simplificando, trabalhar em casa é monótono. Principalmente se trabalhamos por conta de outrem, com horário rígido, e com chefia pouco flexível que exija disponibilidade total durante o período de trabalho. E aqui, bem pode esquecer ir à rua beber o cafezinho da manhã!

Depois da monotonia, vem a solidão. Ficar sozinho em casa durante cerca de 11 horas, pode ser de loucos. Se ainda tiver o cuidado de somar o tempo que fica sem falar, quando o faz parece que já nem se lembrava do seu tom de voz.

Como em tudo na vida, trabalhar em casa é um misto de emoções. Inicialmente adoramos! Não temos de nos preocupar excessivamente com o que vestir, ou como maquilhar. Não temos de nos preocupar com engarrafamentos, já que o trânsito para a casa de banho não conta! Não temos de nos preocupar em ver as chefias e colegas com quem podíamos simpatizar mais. Só vemos vantagens, já que temos tempo para ir estender a roupa, fazer a cama, arrumar a roupa que ficou espalhada, lavar a loiça, preparar o que tiver de ser descongelado para o jantar, e ficamos maravilhados com a poupança de tempo.

Depois, começamos a perceber que não vemos viv’alma durante horas. Ansiamos pela chegada do parceiro, e até parece que passaram dias sem nos vermos. Começamos a exteriorizar a frustração de estarmos sozinhos. Vem o mau humor. As respostas feitas e feias. Pode ser a ruína da relação, sendo importante que se aperceba a tempo, peça desculpa, esforce-se por provar que consegue ser muito melhor e que vale a pena lutarem por ultrapassar e preencher esse vazio.

Para combater tanto negativismo, inscreva-se num ginásio, aproveite cursos que contribuam para melhorar os seus conhecimentos profissionais ou aproveite para estimular algum hobbie.

Resumindo: Cumprir com o horário permitirá ter tempo para a vida pessoal; vestir e maquilhar convenientemente, permitirá um excelente desempenho e aumentará a sua confiança; fazer um pouco de exercício físico em casa melhorará o seu humor. Por último, não se isole, traga as pessoas até si ou vá até elas!

Próximo post: Motivação.

1 comentário:

  1. É como uma moeda de duas faces... quem nunca viveu a experiência anseia certamente por ela, mas os sentimentos que descreveste (e muito bem) são um dos aspectos negativos de trabalhar em casa. Há que dar-lhes a volta...

    ResponderEliminar

A sua opinião conta!