segunda-feira, 30 de abril de 2012

Produtividade e escapes frequentes

(via internet)

Todos temos dias em que somos mais produtivos e dias em que tal não se verifica. Existem N motivos para que tal aconteça e, nem sempre somos os responsáveis pelo fraco desempenho. Uma noite mal dormida, um problema familiar, uma preocupação financeira, podem ocupar os primeiros lugares do TOP, mas não podemos e nem devemos descurar os que resultam de ter uma chefia com pouco sentido de liderança, o que pode implicar desmotivação provocada pela falta de orientação para objectivos reais e exequíveis. Também a falta de condições, que incluem não só o espaço físico e todo o material inerente e necessário ao nosso bem estar, mas também as relações profissionais entre a equipa, podem estar na origem de um dia para esquecer.

Podemos identificar estas razões como justificação para facilmente nos distrairmos com qualquer outra coisa que não o objetivo do dia: trabalhar e contribuir positivamente para a missão da empresa.

Quando prestamos funções nas instalações da entidade patronal é frequente distrair-mo-nos numa ida ao café com os colegas, ou mesmo até ao espaço interno destinado para o efeito, deslocação  que se repete mais vezes do que o desejado. Vamos mais frequentemente à fotocopiadora. Arranjamos todas as desculpas e mais alguma para ir até à casa de banho. Vamos até ao gabinete dos colegas por tudo e por nada.

Quando trabalhamos em casa os escapes também são igualmente variados. As idas à casa de banho serão substituídas por idas à cozinha, mesmo que não tenhamos fome, acabamos por ir até lá nem que seja só para abrir a porta do frigorífico. Num dia menos produtivo, facilmente nos dedicamos às tarefas domésticas, quanto mais não seja para a limpeza da cozinha. A internet provavelmente ocupa o ranking de distrações, principalmente quando a função é maioritariamente administrativa.

Depois do duche, de se vestir e preparar como entende ser do seu agrado, e de iniciar a prestação à hora certa, defina o que fazer nesse dia. Para isso, tenha em mente o que produz num dia muito bom e num dia menos bom e faça a média. Arranje um caderno que funcionará como diário, aí anotará o objetivo do dia, aproveitando para escrever todas as tarefas que entenda como necessárias e urgentes a serem lembradas e resolvidas. Num dia negro, faça intervalos regulares, mantendo-se focado no objetivo diário. Por exemplo, iniciado o trabalho às 09:00, tire 30 minutos para a leitura dos email que ficaram por ler. Agora, faça a pausa do café por 5 minutos. Volte a trabalhar 30 minutos, respondendo a algum email que mereça resposta. Faça nova pausa, vá à casa de banho. Mais 30 minutos, faça algumas chamadas que entenda importantes. Tire uns minutos para olhar pela janela. Mais 30 minutos para analisar algum documento. E assim por diante. Em vez de se distrair por 3 horas seguidas com algo que não merece atenção, permita-se a uma distração que afinal mais não é do que recarregar baterias.

Agora, a enorme vantagem de trabalhar em casa!, reserve 20 minutos da hora de almoço para DORMIR! Vai ver que acorda muito mais bem disposto e, no período da tarde será muito mais produtivo

Empresas nacionais já permitem aos colaboradores este pequeno luxo, e concluíram que é bastante positivo. Infelizmente 99,9% das empresas portuguesas continuam a entender que quanto mais horas trabalhamos, com um controlo cerrado por parte das chefias, mais produtivos seremos. Enfim, tantos anos a estudar para continuarmos a ser igualmente ignorantes.

Resumindo: Não dê um dia de trabalho por perdido, defina o que fazer nesse dia e faça intervalos regulares.

Próximo post: Exercício físico no espaço de trabalho.

4 comentários:

  1. :))))! Adorei, adorei, adorei! Óptimo texto. E óptimo blog; estás de parabéns!!!

    Bjinhos!!

    ResponderEliminar
  2. Adorei tb ;)
    E tb sou daquelas que se levanta para ir a cozinha sem nada par lá fazer :S

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Muito bem! beijinhos e continua.Tobias Figueira

    ResponderEliminar

A sua opinião conta!